Research Group Grupo de Pesquisa Linguagem, Cognição Humana e Processos Educacionais Projetos de Formação Scholar Projects Universidade do Estado do Rio de Janeiro Projetos Formadores Leading Projects

Projeto interinstitucional dedicado à produção e disseminação de insumos básicos para a formação inicial e continuada de professores dos anos iniciais do ensino fundamental (educação primária). Seu objetivo é discutir as bases interdisciplinares para a definição do campo acadêmico da linguística aplicada ao letramento e à alfabetização no âmbito de programas de educação e diversidade social e cultural. A produção derivada consistirá de material bibliográfico destinado à formação de professores.


Palavras-chave1: linguística aplicada; letramento; alfabetização; teoria e epistemologia da linguística

Palavras-chave2: representação do conhecimento; desenvolvimento e modos do pensamento;
/ leitura; produção de textos

Palavras-chave3: desenvolvimento socioafetivo; subjetividades sociais; mecanismos de inclusão;
/ exclusão, etnografia

Palavras-chave4: formação de professores; teorias da aprendizagem; sociologia da educação


Projeto de Pesquisa Integrada
LEITURA, PRODUÇÃO TEXTUAL E ALFABETIZAÇÃO EM CONTEXTOS DE DIVERSIDADE

Este projeto tem por finalidade promover um fórum para discutir e definir a natureza da linguística aplicada ao letramento e à alfabetização como um ramo do conhecimento linguístico com propriedades complexas, numa perspectiva pós-estruturalista e baseada no princípio da reinterpretação paradigmática, segundo Kuhn. Seu objetivo consiste na publicação de três obras de referência multidisciplinar, na forma de um eBook dividido em três volumes, reunindo artigos que se desenvolvam a partir das discussões sobre o campo do letramento e da alfabetização, do ponto de vista teórico e aplicado, assim como da formação de professores e dos sujeitos em diversidade na escola básica. Para assegurar o caráter interdisciplinar do qual não se pode abrir mão ao tratar de letramento e alfabetização, o projeto será desenvolvido em regime de cooperação por quatro grupos de pesquisa consolidados, a saber: o grupo de pesquisa Linguagem, Cognição Humana e Processos Educacionais (Programa de Pós-Graduação em Educação – UERJ; líder: Luiz Antonio Gomes Senna); Etnografia, educação e exclusão (Programa de Pós-Graduação em Educação – UERJ; líder: Carmen Lucia Guimarães de Mattos); Observatório de Pesquisas e Estudos Multidisciplinares (Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores - UEPB; líder: Paula Almeida de Castro); grupo de pesquisa Proletras: interletramentos práticas de leitura e escrita no cotidiano escolar (Programa de Pós-Graduação em Linguística – UFPI; líder: Maria Angélica Freire de Carvalho).

Os quatro grupos de pesquisa reúnem um colegiado de aproximadamente sessenta pesquisadores, doutorandos, mestrandos e outros formandos em pesquisa, que representam cerca de vinte e cinco instituições de ensino, pesquisa e extensão, no Brasil e no exterior. No Brasil, o colegiado realiza dois eventos acadêmicos regulares, a saber: o CONEDU (Congresso Nacional de Educação, realizado anualmente na região Nordeste do Brasil e teve sua terceira edição no mês de outubro de 2017); o CEDUCE (Colóquio Internacional Educação Cidadania e Exclusão, bianual, realizará sua quinta edição no ano de 2017).

Os grupos de pesquisa responsáveis pela execução do projeto têm interesse em sua extensão às reuniões anuais de ALFAL – Associação de Linguística e Filologia da América Latina, visando a promover a integração de grupos ou centros de pesquisa situados nos países latino-americanos de língua espanhola, cujos trabalhos estejam igualmente centrados na linguística aplicada ao letramento e à alfabetização. Espera-se identificar parcerias acadêmicas com as quais se torne possível a realização de estudos e pesquisas comparados que nos proporcionem a chance de discutir macro-políticas de letramento e alfabetização para a América Latina, com base em demandas e teorias localmente definidas.


TÓPICOS EM DISCUSSÃO NO
XVIII Congresso ALFAL a realizar-se (Bogotá)
de 24 a 28 de julho de 2017


Simpósio 1: Tensões paradigmáticas – a linguística aplicada e as fronteiras do conhecimento

Os objetos da linguística aplicada tomados como fenômenos complexos, históricos e sujeitos às idiossincrasias individuais. O simpósio explora o esforço teórico subjacente às pesquisas aplicadas aos campos da linguagem, focalizando, especialmente, a necessidade de alargamento das suas fronteiras epistemológicas e da reinterpretação paradigmática, à luz das contribuições pós-estruturalistas de Kuhn. Tendo por motivação a demanda por fundamentos adequados à formação de docentes capazes de traçar e implementar políticas de ensino comprometidas com a inclusão de minorias sócio-culturais, os trabalhos abordam diferentes aspectos em que a ruptura com os parâmetros modernos de produção de conhecimento em ciências da linguagem contribuem para uma melhor absorção de noções como diversidade e singularidade. O diálogo entre os três trabalhos tem por objetivo suscitar discussões sobre o papel dos estudos de base na desconstrução do conceito de “normalidade” como um traço subjacente à figura do aluno em processo de alfabetização, assim contribuindo para o avanço da noção de “erro produtivo”.

 

Simpósio 2: Docência e formação de professores no campo da linguística aplicada ao letramento e à alfabetização

Em que pesem os esforços políticos e acadêmicos, o acesso à cultura escrita ainda não se tornou universal na América Latina, onde os índices de analfabetismo e analfabetismo funcional não sofreu redução significativa nas últimas décadas. A população excluída da cultura escrita está, normalmente, situada à periferia dos processos culturais hegemônicos e tem na escola o único ou principal espaço em que as práticas de escrita alfabética se empregam de forma sistemática. Por este motivo, políticas públicas de letramento e alfabetização que visem a atingir esta população incidem sempre sobre processos ou regimentações escolares, tendo, portanto, como principais agentes implementadores os professores. Os fatores que concorrem para o severo custo de alguns dos sujeitos escolares em condição de diversidade social e cultural encontram-se, todavia, fora da escola, fora, portanto, da esfera de controle dos professores, o que não raramente leva a que se assuma o chamado “fracasso escolar” como algo interditivo da aprendizagem, peculiar ao aluno e, em alguns casos, a ser tratado pela área médica. Este simpósio reúne trabalhos que discutem diferentes aspectos da formação de professores com vistas à superação do custo de aprendizagem ou do fracasso escolar entre sujeitos em condição de diversidade cultural, considerando-se a formação inicial na graduação, a formação continuada em serviço e formação de agentes de letramento e alfabetização na educação de jovens e adultos.


Simpósio 3: Diversidade e custo de acesso à escrita

O processo de construção da escrita alfabética constitui um grande desafio para a educação pública, especialmente entre sujeitos sociais que se encontram em condição de diversidade social e cultural. Nas ex-colônias portuguesas, dentre as quais o Brasil e Moçambique, encontram-se diferentes realidades linguísticas quanto ao uso coloquial da língua portuguesa. Seja na forma do chamado “português do Brasil”, seja na diversidade de línguas maternas locais faladas em Moçambique, as ex-colônias portuguesas desenvolveram suas próprias formas de resistência à imposição do Português pela coroa portuguesa. As práticas escolares de alfabetização em tais países confrontam-se com alunos cuja realidade extra-escolar opera outras realidades linguísticas, outros modos de representação de mundo, em face dos quais a língua escrita – o idioma oficial – não tem força. Este simpósio reúne trabalhos que discutem realidades escolares de alfabetização que enfrentam, direta ou indiretamente, os custos provocados por línguas e representações de mundo em contato. Os estudos apresentados situam contextos de ensino localizados na região metropolitana do Rio de Janeiro e em diferentes regiões de Moçambique.


Simpósio 4: Diversidade cultural e custos de produção de textos escritos

Mesmo após dominarem o código da escrita alfabética, os sujeitos escolares da educação básica costumam apresentar custos de produção de textos escritos, não raro persistentes até os anos finais, no ensino médio. Excetuando-se os aspectos sócio-econômicos, os custos de produção de textos têm um importante papel nos episódios de fracasso e evasão escolar, especialmente no ensino médio. Este simpósio reúne trabalhos que discutem diferentes abordagens da questão da produção de textos nos dois segmentos do ensino fundamental e no ensino médio, neste caso, considerando-se um grupo de alunos do curso técnico de formação de professores primários (curso normal). O objetivo do simpósio é provocar discussões sobre as variáveis que interferem na qualidade do texto produzido por sujeitos em condição de diversidade social e cultural, a partir da análise de experiências desenvolvidas em contextos reais de ensino.


Simpósio 5: Conhecimento, sujeitos e cultura: vozes sobre a escola a partir da etnografia

A relação dos sujeitos da escola com o conhecimento e a cultura constitui o objeto do presente painel. Tal relação será pautada pelos conceitos de migração, cultura, conhecimento e tecnologia diante do processo de ensino-aprendizagem. Propõe-se, então, como objetivo geral: estudar e investigar, qual o papel da escola diante do conhecimento e da cultura, a partir das vozes dos seus próprios sujeitos. Refletir sobre a diversidade das práticas cotidianas de sala de aula pelo olhar da etnografia e das vozes dos sujeitos possibilita configurar novas dimensões para a educação pública por contribuir, sobremaneira, para o enfretamento do fracasso escolar. É entendido que o binômio ensinar-aprender está imbricado nas relações propostas no campo da Educação. Tais dimensões se coadunam compondo, também, as questões do próprio campo educacional. Assim, o processo de ensino-aprendizagem está na pauta da escola como uma de suas principais funções mediado pela dimensão cultural. O que se propõe neste painel é uma discussão crítico-reflexiva sobre os saberes e fazeres percebidos a partir dos sentidos atribuídos pelos sujeitos da educação à ação pedagógica tomando a etnografia como abordagem teórica-metodológica possível de fazer emergir as vozes silenciadas presentes no contexto escolar.


Simpósio 6: Gêneros textuais-discursivos: formas para agir sobre o mundo e dizê-lo em atividades sócio-discursivas

Compreendidos como eventos linguísticos e formas de ação social, os gêneros vinculam-se às práticas linguageiras como meio de organizá-las e de procurar estabilizá-las. Integrado a tais práticas, eles acabam por atender às mudanças vinculadas à vida sociocultural, manifestas com e na linguagem; com isso, ganham-se reinscritos ou novos eventos comunicativos, os quais surgem de acordo com as necessidades interativas. Dada essa integração e mudança, pode-se afirmar que os gêneros são maleáveis, tendo sua estabilidade relativizada nos contextos sociointerativos. A partir desse pressuposto, esse simpósio busca refletir sobre os gêneros a partir de seus usos e condicionamentos sociopragmáticos, observando suas funções comunicativas. Para contemplar o estudo em aspectos mais abrangentes, em se tratando da temática, a proposta prevê uma abordagem sobre a variedade de gêneros e a observância em suas peculiaridades linguísticas e organizacionais, suas propriedades textuais e discursivas. Os trabalhos que se associam ao simpósio discutem o tema intencionando apontar caminhos para uma prática pedagógica à luz das reflexões suscitadas.



Apresentação de Trabalhos
nos simpósios temáticos do projeto


Propostas de comunicação integrada poderão ser encaminhadas para avaliação conforme as seguintes instruções:

a) resumos de 200 a 500 palavras (em português ou espanhol), em que constem: indicação do simpósio a que se destina, nome(s) do(s) autor(es) - máximo três -, vínculo acadêmico ou profissional dos autores, palavras-chave e referencial teórico mínimo.
b) Enviar em formato DOC ou PDF, para o endereço eletrônico: letramentoalfal@senna.pro.br
c) Prazo para envio de propostas: 10/12/2016

Os autores de trabalhos aceitos deverão inscrever-se no XVIII Congresso ALFAL (cf. www.mundoalfal.org)


Propuestas de ponencia integrada podrán se someter para evaluación conforme las instrucciones siguientes:

a) resúmenes de 200 a 500 palabras (en portugués o español), en qué consten: indicación del simposio a que se destina, nombre(s) de l(os) autor(es) – un máximo de tres -, vinculación académica o profesional de l(os) autor(es), palabras-clave y referencial  teórico mínimo.
b) enviar en formato DOC o PDF, para la dirección electrónica: letramentoalfal@senna.pro.br
c) Fecha limite para envio: 10/12/2016


Los autores de trabajos selecionados deverán inscribirse en el XVIII Congresso ALFAL (cf. www.mundoalfal.org)